• Município de Monção &

    Space Ensemble apresentam

    Trilogia dos Vales

  • Sinopse

    Trilogia dos Vales é um espectáculo em três actos.

     

    Partindo do espaço geográfico de Monção, explora-se a identidade deste território, fértil em vida e em história. Os rios, os vales por eles criados, os moinhos, as vinhas, a terra, as pessoas, a memória colectiva são a inspiração da partitura musical e visual do espectáculo.

    Um contributo para a unificação e para a identidade.

     

    Esta é uma proposta do colectivo artístico Space Ensemble, que neste projecto é liderado pelo artista e multi-instrumentista Samuel Coelho, assumindo a direcção artística e musical, contanto com a realização e direcção de cena de Giselle Galvão.

  • Galeria Vídeo

    Além dos Vales

    [Mini Documentário]

    Uma viagem ao processo de trabalho. Uma visita às instituições que viraram sala de ensaio por algumas horas. Um percorrido pela história de Monção e dos Monçanenses.

    Um filme de João de Sá.

    Vídeo Promo / Teaser #1

    Vídeo Promo / Teaser #2

  • Monção

    VILA TERMAL E BERÇO DO ALVARINHO

    www.cm-moncao.pt

    Monção, Vila Termal e Berço do Alvarinho, localiza-se no noroeste da Península Ibérica, fazendo fronteira com a Espanha através de uma Ponte Internacional sobre o Rio Minho que une o município a Salvaterra de Miño. Possui uma extensão de 206 quilómetros quadrados e 24 freguesias com diversos atrativos que “obrigam” a uma visita demorada e enriquecedora.

    A um património natural e construído singular, junta variadas estruturas dedicadas ao turismo de aventura e lazer, tradições seculares em diferentes lugares do concelho, águas milagrosas que ajudam na terapia e na estética, uma gastronomia que atravessou gerações de cozinheiras e um vinho, de seu nome Alvarinho, que fica bem em qualquer mesa do mundo.

    Neste concelho, sentem-se importantes pedaços de história com espaços para passear e conviver em harmonia com a natureza, regalar os olhos de admiração e respirar uma placidez quase terapêutica que enriquece o espírito e tranquiliza a alma. Mais que as palavras, valem as imagens, o pulsar das coisas, e o contacto com as pessoas. Visite Monção!

  • A promoção da identidade cultural da nossa comunidade e território, enaltecendo um conjunto de singularidades e potencialidades que trazemos do berço, constitui um elemento diferenciador que defendemos, potenciamos e divulgamos. Só, desta forma, somos capazes de falar de nós com uma autenticidade nossa.

     

    Partindo deste pressuposto, ao qual acrescentamos uma postura versátil e dinâmica, com abertura a novos conceitos e métodos inovadores, é com natural agrado que olhamos para este espectáculo inspirador com uma denominação que encaixa, à perfeição, no nosso concelho. Trilogia dos Vales. Minho, Mouro e Gadanha.

     

    O nome diz-nos muito, contudo, existem outros motivos para vivenciarmos este interessante projeto. A alma e paixão de quem o faz e as emoções fortes que pretende transmitir. Não esquecendo o contributo que presta à preservação da memória coletiva local e à dinamização de um território que veneramos e amamos, o nosso.

     

     

     

     

    Neste espetáculo em três atos, evidenciam-se histórias da nossa gente, vislumbram-se episódios emblemáticos, exploram-se momentos e locais. São vales recortados com criatividade, moinhos movidos com imaginação, paisagens com semblantes felizes, rios que correm serenos. E as melhores sensações vão manifestar-se em cada gesto, em cada olhar. Quando o pano subir e o espetáculo começar.

     

    A criação mais sustentada cresce na diversidade e desenvolve-se na multiplicidade. Com o melhor que cada um(a) dá e a capacidade de superação de todos. Pela originalidade do projeto e por tudo aquilo que aporta às nossas instituições sociais e associações locais, estou certo que será bem-sucedido e servirá como estímulo para “alimentar” outras ideias.

     

     

    Presidente da Câmara Municipal de Monção,

    Augusto de Oliveira Domingues

  • Grupos Participantes

    Santa Casa da Misericórdia de Monção

     

    CPS Padre Agostinho Caldas Afonso

     

    CENSO

     

    Centro Comunitário de Podame

     

    Grupo Popular Os Teimosos

     

    Banda Musical Casa do Povo de Tangil

     

    CPSS Pedro de Merufe

     

    CPS de Barbeita

     

    Banda Musical de Monção

     

    APPACDM

     

    Filarmónica Milagrense

  • Samuel Coelho

    [Direcção Artística]

     

    Tem feito um percurso de descoberta e constante reinvenção da sua linguagem musical. Com raízes na música clássica, tem vindo a desenvolver uma linguagem muito própria, utilizando diversas fontes sonoras. O seu trabalho atravessa vários géneros e universos musicais, desde a música clássica à música conceptual, experimental e à improvisação.

    A sua actividade artística desenvolve-se em vários projectos, tais como EL RUPE (trio de jazz fusion), colaborando também nos projectos Space Ensemble, Gnomon, Hot Air Baloon e Atic, tendo diversos discos editados.

    Nos últimos anos tem colaborado como diretor musical, compositor e instrumentista com companhias de teatro como Teatro Experimental do Porto, Máquina Agradável, Teatro Bruto e Comédias do Minho.

    Desenvolve actividades com comunidades e lidera intervenções musicais criativas, dirigidas a crianças e ao público em geral, colaborando com vários artistas da área da dança, do teatro e da performance. Em 2017 foi artista residente do AiR Programme, em Malta (Gozo), no âmbito do programa da Fondazzjoni Kreattivitá e Valletta 2018 (Capital Europeia da Cultura).

    Estudou violino na Escola Profissional Artística do Vale do Ave e na Academia Nacional Superior de Orquestra (Lisboa). Participou no II Curso de Formação de Animadores Musicais do Serviço Educativo da Casa da Música, tendo colaborado como facilitador nos cursos posteriores. Também na Casa da Música realizou workshops de “Soundpainting”, “Sons do Dia” (Marc Ducret), “General Skills in the Class Room” (Sam Mason, Tim Steiner) e o seminário de Gamelão (Andy Canning).

     

  • Giselle Galvão

    [Realização e Direcção de Cena]

     

    Giselle Galvão nasceu no Brasil e mora em São Paulo. Artista visual formada em Jornalismo, atua como fotógrafa e videomaker desde 2006. Seus trabalhos com imagem, que buscam um diálogo entre os diferentes suportes midiáticos, já foram exibidos no Palácio das Artes - Belo Horizonte (Arte.Mov - Festival Internacional de Arte em Mídias Móveis 2006), no Centre Pompidou - Paris (Festival Pocket Filmes 2007), no Centro Nacional de las Artes - Cidade do México (Transitio_MX 02 - Festival Internacional de Artes Eletrônicas e Vídeo 2007) e no Museu da Imagem e do Som - São Paulo (Festival Internacional de Curtas 2011).

    Em 2012, fez sua primeira exposição individual no Museu da Imagem e do Som dentro do Festival NOVA Contemporary Culture Festival. Nos anos seguintes, participou de mostras coletivas em Portugal (META – Digital Art Exihibition 2014) e em São Paulo (ALTav – Festival de Telas, realizado no Parque Ibirapuera).

    Em 2016, exibiu sua última série fotográfica, intitulada “My Girls”, no The Wrong – New Digital Art Biennale e realizou outra exposição individual com fotos de viagem, “On the road”, no Espaço Aldeia, em São Paulo.

    Atualmente, além de trabalhar com video e fotografia, expandiu sua área de atuação para realizar a direção de imagem de shows e concertos, onde desenvolve e executa toda a identidade visual dos projetos.

    gisellegalvao.com 

  • Space Ensemble

    http://www.spaceensemble.net

     

    O Space Ensemble é uma formação orgânica e mutante que se baseia na exploração das cumplicidades entre os músicos envolvidos, testando e variando as combinações instrumentais e estilísticas, de acordo com os locais e o contexto dos eventos.

    Um processo de exploração que se desenvolveu ao longo das várias edições do Festival Space (dedicado à música improvisada qe decorreu entre 1999 e 2005), e que acabou por ser a base de preparação de inúmeros projectos que desde então percorrerão as principais salas de Portugal.
    Nos seus espectáculos cruzam várias vertentes artísticas, trabalhando essencalmente o formato filme-concerto. Apostam na produção de espectáculos para toda a família e com um caracter de serviço educativo, tendo já abordado temas como a Matemática, o ambiente, ou a memória colectiva de alguns territórios.
    Ao longo dos mais de 15 anos de carreira tem vindo a musicar obras marcantes do cinema mundial, essencilamente na área de documentário e animação, tendo já percorrido a obra de autores emblemáticos como Lotte Reiniger, Dziga Vertov, Norman Mclaren, entre muitos outros.


     

    Já se apresentaram em diversos eventos e festivais como o Serralves em Festa, o Festival de Paredes de Coura, o Festival de Jazz de Portalegre, Os Dias a Crescer em Guimarães, etc., assim como em algumas das melhores salas nacionais: Casa da Música no Porto, Cine-Teatro de Estarreja, Theatro Esther de Carvalho em Montemor-o-Velho, Centro Cultural Vila Flôr em Guimarães, CAE Portalegre, Cinema Passos Manual no Porto, Teatro José Lúcio da Silva em Leiria, Teatro Viriato em Viseu, etc.

    Desde 2014, o Space Ensemble dirige a Escola do Rock de Paredes de Coura, Um evento que é também uma semana de residência e formação dedicada ao Rock, com um programa lectivo que passa pelos clássicos do rock, e pelo historial do Festival Paredes de Coura.


    Em 2015, foram convidados a produzir um espectáculo especial para as celebrações dos 500 anos do Foral de Paredes de Coura. Criaram um filme-concerto, realizando o filme "Uma Visita Real" e musicando ao vivo com mais de 90 músicos courenses, com idades entre os 8 e os 80 anos.

  • Apresentações Finais

    1

    7 Outubro 2017

    Cine Teatro João Verde

    17h

    2

    8 Outubro 2017

    Cine Teatro João Verde

    17h

    3

    14 Outubro 2017

    Cine Teatro João Verde

    17h